Real, Presumido ou Simples. Qual o melhor regime de tributação?



Real, Presumido ou Simples. Qual o melhor regime de tributação?

O contador no exercício da profissão se depara com inúmeras situações, onde ele com base no seu conhecimento e experiência precisa tomar decisões que podem ter um impacto positivo ou negativo para seus clientes, uma das principais decisões que o contador precisa tomar é a escolha do regime de tributação, uma vez que a legislação não permite mudança de sistemática no mesmo exercício, uma Opção equivocada será definitiva para todo ano do calendário tendo como conseqüência o aumento da carga tributária.A Opção do regime de tributação é feita com o primeira pagamento do imposto(Real ou Presumido) e o simples nacional até o último dia útil do mês de janeiro.Diante de tal duvida surge a figura do planejamento tributário, o contador fazendo uso do seu conhecimento da legislação tributária irá optar pela sistemática que apresente menor carga tributária, sem contudo sonegar ou fraudar o fisco.

LUCRO PRESUMIDO

Nessa sistemática como o próprio nome diz existe uma presunção do lucro, a base de cálculo para o IRPJ e a CSLL de uma forma geral será obtida através da aplicação de 8%(comercio)e 32%(serviços)sobre a receita bruta.O lucro presumido poderá ser vantajoso quando a margem de lucratividade for superior a presumida e a empresa não apresentar um volume considerável de despesas dedutíveis, outro ponto a ser considerado é em relação ao PIS e Cofins pois as empresas que optarem pelo presumido não tem direito ao crédito desses tributos apesar de aplicarem alíquotas mais baixas.

SIMPLES NACIONAL

O Simples pode parecer para muitos a melhor Opção uma vez que apresenta alíquotas baixas e os inúmeros benefícios apresentados na Lei Complementar 126, de fato dependendo da atividade o simples apresenta a menor carga tributária, porém os prestadores de Serviços devem ficar atentos, pois dependendo do serviço que é prestado o lucro presumido pode ser mais vantajoso outra questão a ser considera seria a ausência de credito de ICMS, IPI,PIS,COFINS e a incidência de INSS sobre a receita.
LUCRO REAL

Na sistemática do Lucro Real o recolhimento do IRPJ e CSLL podera ser trimestral ou mensal(Estimativa)tendo como base de calculo o lucro contábil precedido de ajustes(adições,exclusões ou compensações), o lucro real será vantajoso guando a empresa apresentar um grande volume de despesas dedutíveis e uma margem de lucratividade baixa, a outra vantagem seria a possibilida de compensação de prejuízos de exercícios anterirores tendo como respaldo a escrituração contábil nos moldes da legislação comercial.

CONCLUSÃO
De uma maneira geral não existe um regime de tributação mais benéfico para todas as empresas cada empresa possui suas particularidades devendo ser estudada individualmente, levando em consideração não apenas o IRPJ e CSLL mais o PIS, COFINS, IPI, ICMS, INSS, etc
Nesse caso deve o contador realizar simulações e fazer a Opção para aquela sistemática mais benéfica e que tenha como conseguência menor Carga Tributária para seu cliente.
Fonte: Gilberto Magalhães da Silva Filho.


  • Como posso criar uma hipotese sobre qual melhor regime tributario para minha empresa?

  • BOA TARDE,

    TEMOS LOJAS DE COSMETICOS,EPP.NO NOSSO CASO QUAL SERIA A MELHOR OPÇÃO.

    TEIXEIRA

  • Buenas! desculpe pelo atraso no retorno…

    Ariane,

    Normalmente o regime tributário está relacionado com o porte da empresa, pois um dos fatores impeditivos de regimes com a carga tributária mais “leve” tem o faturamento como indicador.

    Em minha opinião, o sistema de recolhimento do Simples Nacional sempre é mais vantajoso a empresa que puder se enquadrar nele, pois alem da fácil maneira de cálculo é também o que se utiliza de alíquotas menores para tributar.

    Temos também como matéria de estudo o Lucro Presumido e o Lucro Real como opção de regime tributário também. As alíquotas do Lucro Presumido são significativamente mais baixas do que o Lucro Real, porém presume-se um lucro sobre o faturamento que será base de cálculo para tributos diretos. Por outro lado, o Lucro Real, tratará a base de cálculo o que realmente foi lucro na empresa, portanto, se não obtiver lucro no exercício, não terá tributos diretos a recolher.

    Em síntese, indico o Lucro Real apenas para aquelas empresas que possuem uma margem líquida muito baixa, geralmente abaixo de 12% de suas receitas.

  • Como faço para fazer uma alteração contratual?

  • Bom dia Beatriz, contate-nos pelos telefones (51) 3023-1818 ou email cadastro@escritta.com.br que prestamos este serviço à você.

  • Boa Tarde sou um pequeno empresario e não tenho muito conhecimento, gostaria de saber como faço para encontrar minha margem de lucro liquida.

  • Boa tarde Danilo! para encontrar a margem líquida se sua empresa precisará identificar duas variáveis para o cálculo. São elas: Receita Líquida e Lucro Líquido. Ambas encontram-se na Demonstração de Resultado do Exercício (DRE) demonstração essa elaborada pela contabilidade.
    Em resumo, a margem líquida é a razão do lucro líquido dividido pela receita líquida do período.

    Em outras palavras, seria dizer o quanto (%) foi transformado em lucro daquilo que foi recebido pela empresa em um determinado período.

    Exemplo: empresa teve em 2012 uma receita líquida de R$ 862.450,00 e um lucro líquido de R$54.950,50 no mesmo período, portanto sua margem líquida seria de 6,37% sendo interessante a hipótese de estudo do lucro real como regime tributário. Espero ter ajudado, um abraço!

  • Bom dia! Minha empresa utiliza-se do simples nacional, mas trabalhamos com uma margem de lucro baixa, gostaria de saber como fazer uma simulação para ver se o melhor não seria o regime de lucro real.

    Obrigada.

  • Tenho uma empresa de transportes, em 2012 era optante pelo simples, em 2013 toda a escrituração foi feita como Lucro Real, porem o meu contador esqueceu-se de fazer a opção pelo Lucro Real e a minha empresa continua no simples. E agora?

  • excelente